Contato: (12) 3105-1122 (12) 3105-8149​​ Atendimento: 08:30 às 11:30/13:00 às 17:30

Areias

Pouso para tropeiros de São Paulo e Minas Gerais que seguiam para o Rio de Janeiro, Santana da Paraíba Nova como era chamada em 1748 foi por muito tempo apenas freguesia de cidades capitais. Hoje a cidade é um verdadeiro palco retrospectivo de sua antiga cultura colonial.

Retrocedendo um pouco de sua orgulhosa história, Areias foi denominada Distrito de Paz em 1801, já em 28 de novembro de 1816, D. João VI concedeu o título de Vila de São Miguel das Areias em homenagem a seu filho D. Miguel, substituindo também a padroeira para São Miguel, no entanto, o povo continuou venerando e comemorando Santana. Areias foi constituindo-se o único Município paulista por ordenação deste Monarca, elevada à categoria de cidade em 24 de março de 1857.

Areias em 1838 foi pioneira na plantação de café chegando a produzir mais de 100 mil arrobas, tendo em anexo ao seu território as Freguesias de São Bom Jesus de Bananal, São José do Barreiros e São João Batista de Queluz, que se separaram de Areias em 1832,1859,1842.

Segundo informações encontradas no site da cidade, Areias chegou a ser anexada á província do Rio de Janeiro, durante a Revolução de 1842, mas já em 1843 retornava a condição de cidade do Estado de São Paulo. Apresentava também dois jornais: O Areiense e o Mosquito, que podemos encontrar anúncios, cujo conteúdo nos mostra certos aspectos do dia-a-dia.

Alçada Comarca em 1857, foi sediada no prédio erguido no ano de 1833 para abrigar a Câmara de Vereadores e Cadeia local. Por lá também passou o famoso Escritor Monteiro Lobato, onde exerceu o cargo de Promotor Público durante o período de 1907 há 1911.

A arquitetura colonial da cidade revela sua pujança no século XIX, sendo de grande destaque a antiga Casa da Câmara e Cadeia e atual Casa da Cultura, a Igreja Matriz Senhora Sant'Ana que iniciou sua construção em 1792 e finalizou em 1874, a Velha Figueira local escolhido para a criação de Santana da Paraíba Nova e o Hotel Solar Imperial que foi erguido em 1798 pelo Capitão-mor Gabriel Serafim da Silva e em agosto de 1822 serviu de pouso para Dom Pedro I durante a viagem na qual Proclamaria a Independência do Brasil.

No início do século XX com a inesperada queda do mercado do café, os donos de fazendas hipotecadas mudaram-se para outros pontos do Estado, e com isso a Areias foi perdendo sua opulência de cidade progressista.